Menu

Centrais articulam calendário de lutas contra reformas e privatizações

CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e CSB se reuniram nesta segunda (25 de setembro), na sede da CUT, em São Paulo, para debater uma agenda de lutas contra a reforma da Previdência e contra os impactos da reforma trabalhista.

Os dirigentes também definiram algumas ações em defesa de empresas nacionais estratégicas, que estão ameaçadas com a possibilidade de privatização, como Eletrobras e Petrobras.

Luiz Gonçalves (Luizinho), presidente da Nova Central São Paulo, falou à Agência Sindical sobre o que foi tratado no encontro. "Nós estamos construindo um calendário para o próximo período, tentando juntar as iniciativas de todas as Centrais e unificar as ações. Vamos manter a luta contra a reforma trabalhista e intensificar as mobilizações contra a reforma da Previdência", conta.

Agência Sindical ouviu também João Carlos Gonçalves (Juruna), secretário-geral da Força Sindical. Ele disse que serão feitas diversas ações para denunciar privatizações de empresas estratégicas, pretendidas pelo governo Temer.

"Dia 3 de outubro, no Rio de Janeiro, haverá um ato em frente à sede da Eletrobras e em seguida uma passeata até a Petrobras. Em todas as cidades onde haja uma representação dessas empresas, haverá manifestações contrárias à privatização", explica Juruna.

Cartilha - Segundo o dirigente forcista, as Centrais pretendem manter a mobilização entre os trabalhadores com uma cartilha, que esclarece as maldades da reforma trabalhista. “O encontro tratou também da necessidade de fortalecimento das entidades sindicais e da proposta de abaixo-assinado para um projeto de lei que anule a Lei 13.467/17", diz.

A próxima reunião das Centrais será na próxima segunda, dia 2 de outubro, às 08h30. O local é a sede da Força Sindical, no bairro da Liberdade.

Fonte: Agência Sindical

Voltar ao topo

SINTRACONST-RIO

Departamentos

Siga-nos

Empregadores