Menu

Trabalhadores cruzam os braços em quatro obras públicas da Hydra Engenharia

Trabalhadores cruzam os braços em quatro obras públicas da Hydra Engenharia

As irregularidades constantes da Hydra Engenharia e Saneamento resultou em paralisação em quatro obras de urbanização feitas pela empresa.

Com apoio do Sintraconst-Rio, os operários da Hydra cruzaram os braços nesta quinta-feira (27 de outubro).

As obras paralisadas ficam em:

- Cidade Alta
- Comunidade do Arará (Benfica)
- Morro do Adeus (Bonsucesso)
- Comunidade do Amorim (Manguinhos)

O Sintraconst-Rio colheu assinaturas dos empregados da Hydra para entrar com pedido de greve no Ministério do Trabalho.

As obras públicas são de responsabilidade da Prefeitura do Rio. Ao todo contam com cerca de 500 empregados.

Confira as irregularidades da Hydra para com seus trabalhadores e terceirizados:

- Não há marcação de ponto
- Área de vivência em desconformidade com normas regulamentadoras
- Não paga insalubridade aos profissionais que trabalham em área de esgoto
- Não paga periculosidade aos eletricistas
- Desvio de função
- Sesmt (equipe de profissionais voltadas à segurança na obra) não possui técnico de segurança do trabalho
- Não há Cipa
- Empresa não fornece todos EPIs exigidos
- Não paga adiantamento salarial
- Há trabalhadores sem CTPS assinada
- Trabalhadores com CTPS retida
- Não fornece contrato de trabalho
- Contrato de experiência de 90 dias (lei permite apenas 60 dias)
- Refeição servida em quentinha
- Não fornece frutas no café da manhã, como determina a convenção coletiva
- Há desconto irregular do tíquete assiduidade
- Desconto alimentação além do que define a convenção coletiva (apenas 1%)
- Empreiteiras sem cadastro
- Demora dias para fornecer o contracheque
- Servente de obra operando martelete e outras máquinas

Confira aqui mais sobre a mobilização com os trabalhadores da Hydra Engenharia.

Voltar ao topo

SINTRACONST-RIO

Departamentos

Siga-nos

Empregadores